conta coisas

www.lugarlotado@gmail.com

quinta-feira

história do avesso 2

dizia-se oliveira, era na verdade uma oliveira. não sei quantos anos teria, a oliveira, se plantada por quem mandou construir a "casa do avesso" ou parida pela farta pedra do terreno, que em júbilo ofertara o melhor de si. uma oliveira, estéril, de tom granítico embelezada a folhagem abundante.

todo o alimento, toda a água do pequeno terreno em sobressalto rochoso alimentava a sua cria, ainda assim, brilhava ao sol sem resplandecer umas escassas azeitonas caganitas, que nem aos bicos dos pardais fazia graças.

no lugar da "casa do avesso" a oliveira vivia igualmente do avesso ou atravessada pela mesma maleita da ignorância ou talvez zangada  numa proveniência anti-natura do avesso. 
a oliveira viveu muitos anos, mês sobre mês a fio, só, naquele terreno caduco em harmonia com as pedras, centrada em si e para si.

houvera um março, que alguém, ingenuamente ou julgando-se iluminado ousara contrariar eunuco quinhão, forçando a um futuro próximo um laço de possível amizade.
plantou-se uma semente de feijão.  

o feijão, que era verde, nascera em estaca, alçado nas melhores canas verdes da aldeia. tinha excelente ar, com talo vivaço, cor certa e sorrisos desenhados nas folhas, vagens nem vê-las.
a amizade não fora travada. 

no inverno seguinte a oliveira morreu.


Quando morre um teu amigo ou conhecido, a vida continua natural como se quem existisse para morrer fosses só tu. Porque tudo converge para ti, em quem tudo existe, e assim te inquieta a certeza de que o universo morrerá contigo. Mas não morre. Repara no que acontece com a morte dos outros e ficas a saber que o universo se está nas tintas para que morras ou não.  Vergílio Ferreira em A Nossa Morte

4 comentários:

Moonchild disse...

O universo podes estar-se nas tintas...mas isso é o universo! Eu como ainda não tenho o dom do Universo, quando perco para a morte (em vida ou na vida) Um amigo, uma alma que me faz sorrir por dentro...há, também em mim, uma morte anunciada! parte de mim morreu naquele dia!


boa noite LL

-___-

worldsworth disse...

E se o universo só existir enquanto representação humana? Se houver um universo nosso, de cada um? Atravessado de risos e ausências, partilhado e também secreto...

Legionário disse...

Cada um só vê do universo aquilo que a sua sensibilidade ou a sua maneira de ser lhe permite. O universo pode ser muito mais vasto e muito mais diferente do que aquilo que é apenas o nosso mundo.

Bom fim-de-semana, Ll.:))

goti disse...

...a é a lei da Vida. Continua, mas mais pobre. E depois as interrogações sobre tudo? É um luto difícil.
Beijo doce